8.4.09

o regresso dos poderes



João Cordeiro: “A senhora ministra tem de assumir responsabilidades e mudar a lei”.

Quanto aos fármacos que o doente deve levar para casa, os vendedores das drogas - não os médicos - querem decidir como fazer. E a lei, se não permite que assim seja, que se mude. O homem das farmácias dá o tom: chegou a hora do regresso dos poderes de facto. Os que sempre fizeram como bem entendiam, se necessário interpretando criativamente a legalidade e a legitimidade, podem voltar ao velho tom a que se habituaram. Este senhor apenas vem passar a palavra de que chegou a hora de recompor as coisas. Para isso serve a orquestração de enfraquecimento do Estado, juntando numa curiosa coligação, por um lado, os que assim querem recuperar a velha desordem que serve o seu interesse económico e, por outro lado, os que assim sonham recuperar um cheirinho de revolução de pacotilha. Ou pensam que as múltiplas iniciativas de descredibilização do Estado eram tão somente uma brincadeira inocente?

ADENDA
Associação de Farmácias suspende substituição de remédios sem autorização do médico.

«Em conferência de imprensa, o responsável adiantou no entanto que os doentes vão continuar a ser informados do valor que poupariam se esta substituição fosse feita e que tal informação constará da afctura dos medicamentos.» Acho bem. Isso é razoável.

«João Cordeiro diz que a ANF está disposta a processar judicialmente o Ministério da Saúde se este devolver sem pagar as receitas médicas que forem alteradas nas farmácias. Para o presidente da ANF, a ameaça de Ana Jorge trata-se de uma "medida administrativa" que terá como resposta acções em tribunal.» Se o Ministério fizer cumprir a lei, o tal senhor processa o Ministério. Se fosse de outra corporação... ameaçava excomungar o Ministério.

«João Cordeiro anunciou ainda que, no caso de devolução das receitas médicas sem o pagamento da comparticipação do Serviço Nacional de Saúde, será a associação e não as farmácias a arcar com o prejuízo.» É para isso que servem as corporações: para incentivar os seus a desobedecer, pagando as custas para que a "resistência" vingue.

yemanjazz



yemanjazz


Videoclip. EP Mininas di Café. By Yemanjazz, 2008.

Produced and Directed by Ivan Goite.




7.4.09

luta de classes


Cinderella, de Dexter Dalwood


Ordem dos Médicos: troca de remédios de marca por genéricos é "guerra económica".


«O bastonário da OM alertou ainda que se está "a assistir, essencialmente, à troca de genéricos por genéricos que dão mais interesse à farmácia, em vez de outro genérico de outra marca".»

A mobilização geral contra um governo que enfrentou "classes" poderosas não é inocente, mesmo que os inocentes lhe sirvam de tropa. Essa mobilização geral destina-se a evitar que os interesses instalados sejam incomodados no seu sossego. E "a tropa de inocentes" que fornece a carne para essa "mobilização geral" é que pagará o regresso dos interesses à sua habitual pacata "normalidade". E os teóricos da luta de classes fazem de acólitos, em nome do curto prazo da democracia burguesa.

6.4.09

mao mao



PS em silêncio sobre recandidatura de Durão Barroso a presidente da Comissão Europeia.


Este caso é o espelho perfeito da casa de bruxas que é hoje em dia a UE em matéria política. Supostamente, as eleições europeias (para o Parlamento Europeu) servem para apurar a vontade popular em matéria de orientação da União. Supostamente, isso reflecte-se, nomeadamente, na indigitação do Presidente da Comissão Europeia. Supostamente, a Comissão é um órgão supranacional, onde as escolhas são "comunitárias" e não por nações. Entretanto, agarrados aos velhos vícios, uma série de dirigentes "socialistas" europeus declaram apoiar Barroso para presidente da Comissão. Apesar de ele ser o candidato do PPE. Implicitamente, declaram apoiar os efeitos de uma derrota dos seus próprios partidos ao nível europeu. O PS português, enroscado nos seus pruridos "nacionalistas", está mais arrombado por esta questão do que nenhum outro. Depois ainda se queixam de que "o povo" não esteja muito esclarecido acerca da verdadeira razão das eleições para o Parlamento Europeu!

muitos dias tem o mês



Muitos dias tem o mês
, um documentário de Margarida Leitão (aqui), foi seleccionado para a competição nacional de longas-metragens do festival INDIE LISBOA 2009 (23 de Abril a 3 de Maio). Está também presente na nova secção "Pulsar do mundo" (" filmes que lidam com questões relevantes da actualidade mundial").
Notícias frescas do Indie aqui.

che guevara



"The Corpse of Che Guevara"
Freddy Alborta, 1967


Vi, nos últimos dias, as duas partes do filme de Steven Soderbergh sobre Ernesto Che Guevara. Pode dizer-se que aquilo que mostra não é excessivamente manipulado nem ideologicamente tratado a um ponto que não se tolere. Mas, e um grande mas, vai para o "intervalo" entre as duas partes. A primeira parte acaba com o triunfo da revolução em Cuba. A segunda parte começa com o abandono do governo e de todos os cargos no Estado cubano, por parte de Guevara, para se dedicar à guerrilha. Nesta biografia de Che foi atirado para o campo do não visto todo o período do governo. Como se isso fosse tolerável. O problema é que é no governo que partem os dentes a maior parte dos bem intencionados. (Dos mal intencionados, claro, nem interessa falar.) É que fuzilar quando se anda na serra, a dar e a receber tiros, é uma coisa, quer gostemos ou não gostemos dessa coisa. Fuzilar quando se é ministro todo-poderoso, é outra coisa. Também por isso governar é o inferno das boas intenções. Mais pelo que o governar mostra do que não se sabe fazer, mostra das ingenuidades. Ora, fazer a economia disso numa biografia destas, é bem o espelho do fracasso fundamental que a esquerda "revolucionária" trouxe do século XX para o século XXI. E talvez nem só a revolucionária.

http://www.cheelargentino.com/

http://www.che-movie.co.uk/