28/03/11

tanto tempo a votarem contra e só agora vão começar a pensar o que poderia ser uma alternativa exequível?


Jorge Bateira, no Ladrões de Bicicletas:
Em seminários de trabalho, eventualmente com o apoio de economistas estrangeiros a convidar, os economistas do PCP, do BE e independentes, [e os militantes do PS desiludidos com a sua actual orientação], fariam um esforço de concretização de uma política económica exequível que, distribuindo com justiça os sacrifícios que forem inevitáveis, evite o desastre financeiro, económico e social que um «governo de pilhagem partilhada» nos vai apresentar como inevitável e merecedor da nossa resignação. Esse esforço de convergência deveria culminar com a candidatura unitária «Convergência e Alternativa».
O título do post, Quem é que os vai derrubar?, diz tudo: "derrubar" parece ser galvanizante. Pela salada recomendada, essa "convergência" só poderia ser anti-europeia. E essa "alternativa", que, apesar de já ter servido para moções de censura e votações de mão dada da "esquerda que tão esquerda é" com o PSD e ao CDS, afinal ainda está por ser inventada ("fariam um esforço de concretização de uma política económica exequível", diz Bateira), exclui claramente o diálogo político com o PS. Não espanta: é isso que a esquerda da esquerda tem feito o tempo todo.

5 comentários:

الرجل ذبح بعضهم البعض ولكن الخيول باهظة الثمن disse...

derrubar

abater

voltar no tempo

revolução permanente

são palavras fortes

já negociar submeter-se

reduzir adaptar-se

são fraquitas

CS disse...

Bateira sempre foi um socialista da OPS! Esperemos que esses não se tenham também tornado seus inimigos Porfírio.

Porfirio Silva disse...

Inimigos? Não tomo ninguém por inimigo. A seguir esse raciocínio, CS deveria perguntar ao Jorge Bateira se ele, sendo da corrente OPS, toma os socialistas (ou o PS, se quiser) como o inimigo. O post citado poderia autorizar essa leitura, apesar do velho expediente retórico da "amizade" com os socialistas que estejam zangados com o PS. Agora, virar o bico ao prego e sugerir que eu é que o tomei por inimigo, parece-me demais.

menvp disse...

«... a superclasse (alta finança internacional) controla os Media, e não só...»

Não é só o PM o responsável por 'isto'...:
A filosofia do Terrorismo_CGTP é a seguinte: quem possui regalias acima da média... deve 'martelar' os mais fracos (um ex: aqueles que estão dependentes dos transportes públicos para ir trabalhar)... para que depois os mais fracos façam pressão sobre o governo... no sentido de que este satisfaça as pretensões dos grevistas: e o contribuinte que pague!
Os praticantes do Terrorismo_CGTP possuem uma missão específica: 'martelar' ao máximo os cidadãos indefesos... até estes suspirarem por se verem livres da 'coisa' pública. Depois de empresas estratégicas estarem na mão da alta finança (capital global), a cartelização de preços vai permitir 'assaltar' o contribuinte a torto e a direito - veja-se o preço da gasolina.

Porfirio Silva disse...

caro menvp,

O esquema básico desse comentário parece servir para "comentar" muitos posts: isso parece-me spam. E, a insistir, será tratado como tal. Ainda por cima quando repete o argumento, mas sem dar cavaco às respostas ao argumento. Como lhe disse noutro dia, as greves mais irresponsáveis em Portugal não são da CGTP, nem de sindicatos considerados de esquerda. Veja-se maquinistas da CP, pilotos da TAP, camionistas (neste caso nem sequer é greve. mas enfim.)