23/03/11

santos de pau carunchoso


Cavaco culpa Sócrates pela falta de acordo político.

Cavaco Silva, presidente-candidato, insistiu, durante a última campanha eleitoral, em discutir temas de governação e, aí, mostrar-se sempre crítico do governo. Cavaco Silva aproveitou a noite da vitória, depois de um dia de reflexão e um dia de votação a separá-lo da campanha eleitoral, para colocar ácido nas feridas que deviam ter começado a ser tratadas nesse dia. Cavaco Silva aproveitou a tomada de posse como PR para verbalizar a sua oposição ao governo, para estender a mão a manifestações de rua "contra a situação" e para se posicionar do lado dos que defendem que os portugueses não podem fazer mais sacrifícios. Isto é: Cavaco Silva posicionou-se, repetida e coerentemente, como vértice da oposição. Vem, agora, com pezinhos de lã, fazer-se de vítima. Não tem razão nenhuma para isso: o primeiro factor de crise foi um PR que, clara e repetidamente, deu ao país sinais de que estava em Belém para correr com o governo. Um PR de quem se poderia esperar que usaria toda a informação que Sócrates lhe desse para a usar contra Sócrates, contra o governo, a favor dos seus amigos políticos. Nesse sentido, a crise em curso é o primeiro fruto da última eleição presidencial.

3 comentários:

Vega9000 disse...

Que gozo me vai dar a posse de um novo governo Sócrates. Não vai haver pixeis que cheguem para capturar todas as expressões faciais de Cavaco. Este vai conseguir o impossível: anular PPC e Rui Rio de uma pernada. A incompetência é atroz.
De resto, perfeitamente de acordo. Aliás, assistiremos na campanha a um nível de sonsice (será assim que se escreve?) épico. Podemos inaugurar uma escala psicológica só baseada nisso.

coraçãodemaçã disse...

Porfírio, é para mim um grande prazer lê-lo. Acho as suas postas muito frescas, de excelente qualidade, limpas de peles, espinhas, desperdícios e excrecências.
Além disso são perfeitamente cozinhadas, saborosas de sal, assertivas e perfumadas com leve espírito.
Calculo que terá muitos comensais amigos das suas postas e apreciadores como eu. Pus-me a reflectir porque razão tão poucos deixam rasto...
Acredito que sei quais as causas. Aposto que o Porfírio, também.
Dri

Porfirio Silva disse...

Como se vê, às vezes sou ultrapassado em humor pelos/as leitores/as !
:-)