08/03/11

e isto é o ovo de que animal?


Perto de uma dezena de jovens do movimento Geração à Rasca manifestou-se hoje em Viseu, quando o secretário-geral do PS, José Sócrates, discursava sobre a sua moção política ao congresso do partido.“Eu fiz questão de dizer que era pacífico, mas fomos corridos a empurrões e houve uma rapariga que levou um pontapé”, lamentou aos jornalistas Paulo Agante, do Movimento Geração à Rasca, que agendou para sábado uma manifestação anti-Governo.

Os partidos políticos que temos são, como instrumentos de cidadania, uma treta. Por todas as razões e mais uma. (Podemos voltar a essa conversa noutra altura.) Só que, pequeno pormenor, sem partidos políticos não há democracia e as tentativas de condicionar a acção dos partidos políticos, enquanto ataque a uma forma organizada de expressar uma corrente de opinião, são, as mais das vezes, sintoma de desrespeito pela democracia.
Assumindo-se explicitamente como representantes do Movimento Geração à Rasca, um grupo de pessoas atacou ontem, em Viseu, uma actividade do Partido Socialista. Não fizeram uma manifestação em espaço público contra o governo ou uma autoridade do Estado. Não. Não foi isso. Introduziram-se de má-fé (comprando bilhetes como se fizessem parte da agremiação) numa reunião partidária, numa acção de preparação do congresso do PS, para a boicotar. Dizem que a acção era pacífica. Nunca vi nenhuma reunião, onde os participantes estejam de boa-fé, na qual as inscrições sejam geridas recorrendo ao megafone e a vozearia. "Pacífica" quer dizer que não bateram em ninguém?! Também era o que mais faltava. (Se uns tantos simpatizantes de Sócrates pegarem em megafones e forem "tomar a palavra" para a manifestação de dia 12, serão acolhidos com simpatia e serão chamados ao microfone para dizerem o que lhes vai na alma?)
Não. As tentativas de condicionar as reuniões partidárias não são acções pacíficas. No passado recente, houve grupos de manifestantes que se juntaram à porta da sede do PS no Largo do Rato para invectivar os dirigentes que para lá se dirigiam. Agora, invadem uma reunião preparatória do congresso do mesmo partido. É preciso dizer com clareza: estes comportamentos mostram a falta de cultura democrática de quem assim actua. E Sócrates faz mal em brincar com a situação (disse que era uma partida de Carnaval), porque parece que estas pessoas precisam que alguém as informe que não foram elas a inventar o boicote às reuniões dos partidos como método antidemocrático.
Ou, talvez, os que aplaudem o ataque, sem a possível ingenuidade de alguns dos que deram a cara, possam explicar aos activistas de que animal é este ovo.

11 comentários:

Anónimo disse...

Suponho que isto é ovo da educação dada no ministério da educação,e ministério da ciência tecnologia e ensino superior. Parece que afinal os meninos não se portam mal apenas dentro das salas de aulas. E que a culpa afinal não é dos professores. Chagou a altura do resultado (o ovo) das politicas educativas serem aplicados a quem as inventou e impôs a decreto. A geração à rasca é a geração resultante das idiotices inventadas pelo PS. Por isso o bom filho à casa torna. A falta de educação inventada pelo PS mais cedo ou mais tarde haveria de chegar ao próprio PS. Se alguém tem legitimidade para reclamar do ovo, esse alguém não é o PS que foi quem inventou e criou o ovo, que vemos agora.

António P. disse...

Bom dia Porfírio,
Nem mais.
Um abraço

Porfirio Silva disse...

Anónimo,
Essa forma de explicar o comportamento antidemocrático da turba pela política de educação do PS, ainda por cima com um piscar de olho "aos professores", mostra bem onde já chegou o vale tudo dos cegos. A história está cheia de espertinhos que pagaram bem caro essa táctica: é que julgam sempre que a bosta só cai na careca dos outros, mas um dia (tarde demais) percebem o animal que andaram a alimentar.

ariel disse...

Exactamente.

Abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

As recentes sondagens que dão a vitória à extrema -direita em França ajudam a encontrar a resposta, não?

Porfirio Silva disse...

Carlos, infelizmente há misturas de extremos de que alguns "activistas" parecem estar distraídos.

Anónimo disse...

"Suponho que isto é ovo da educação dada no ministério da educação,e ministério da ciência tecnologia e ensino superior.". diz o Anónimo inicial. A educação é "dada" nos ministérios? E as escolas? E a autonomia das escolas e das universidades, elas também escolas?

Porfirio Silva disse...

E não é só a autonomia das escolas. É que a educação não é dada só nas escolas. A escola ensina. Educar é muito mais vasto. Isto, aliás, explica muito do que para anda.

Zé dos Reis disse...

Perturbar uma reunião partidária é uma tática fascista, que é posta em prática desde mussulini.
Nas ditaduras assiste-se a isto, que em Portugal isto aconteça sem que os fascistas que o fizeram tenham sido presos e devidamente acusados mostra o ponto a que se chegou no limitar das liberdades a quem se identifica com o PS.
O que assisti via telejornal foi fascismo puro e simples.
Os fascistas que interrompem reuniões partidárias violam a constituição da Républica Portuguesa.

Anónimo disse...

Não se trata de geração à rasca mas de geração rasca, pelo menos essa das manifestações patrocinadas pela carcaça Cavaco Silva

Porfirio Silva disse...

Há muito para criticar em Cavaco, não é preciso chamar-lhe nomes para o efeito. Não acham?