24/11/10

o prejuízo das greves


Acho tão legítimo fazer como não fazer greve. Estar contra como estar a favor da greve. Eu não faço esta greve. E não suportaria que o soviete local tentasse restringir o meu direito a ir trabalhar. Como não suportaria que o patrão ou o chefe tentasse restringir o meu direito à greve. Mas, tendo dado uma espreitadela a alguns blogues, tenho que dizer: não engulo o argumento de que "a greve causa prejuízos à economia". Pois causa. Se não causar, é porque não existe. O que não dói não se sente. Temos dores no corpo para sermos alertados para os perigos. Ser contra as greves porque elas "causam prejuízos" é, simplesmente, estar na retranca contra a própria essência desse direito. E, especialmente aos meus amigos socialistas, gostava de lembrar que o "prejuízo das greves" é, desde sempre, um argumento da direita política. Que bem podemos dispensar, nós.

8 comentários:

JPN disse...

Nem mais! Subscrevo. abraço

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

Tem toda a razão, Porfírio.
E digo-o confrontando-me pelo facto de ter tentado ser o mais ideologicamente correcto acabei por mencionar , no fim, os custos da acção.
Ninguém é perfeito, infelizmente para mim.
Um abraço.

Porfirio Silva disse...

Nobody is perfect.
E ninguém quer ser um "nobody".
(Piadas de caserna...)

Anónimo disse...

O ódio aos comunistas é revelador dum fulano que não respeita os direitos dos outros, ó Silva precisas de mudar de óculos

Porfirio Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Porfirio Silva disse...

Em alguns casos o analfabetismo funcional tem a característica de ser auto-demonstrativo.

coraçãodemaçã disse...

Não resisto a contestar o senhor anónimo. Quanta baixeza! O disparate é livre, a ordinarice, também. Ainda bem que não sou filha,mulher ou familiar de um tipo assim. Safa!!!
Dri

Porfirio Silva disse...

Dri, deixe lá, o Anónimo não sabe ler...