30/07/10

uma pergunta a revolucionários que talvez por aí andem


(imagem desviada do bolas e letras)

Face à verdadeira subversão do Estado de Direito que representa toda a novela Freeport, que nasceu de uma conspiração entre políticos, polícias e jornalistas (como foi provado em tribunal) e que assim continuou (como Paula Lourenço ontem documentou largamente em entrevistas à SIC Notícias) há uma pergunta que me baila na cabeça. É uma pergunta que faço enquanto membro da grande e difusa família mundial de socialistas, social-democratas e trabalhistas. É uma pergunta dirigida à esquerda da esquerda deste país, mormente ao PCP e ao BE. E a pergunta é: continuais a ser revolucionários, e portanto a valorar positivamente tudo o que contribua para a degradação do Estado de Direito e assim aplanar o caminho da revolução, incluindo esta brutal manipulação da justiça que cada vez é mais evidente que é a razão do  caso Freeport - ou tendes algum tipo de verdadeira oposição ideológica ou política a estes processos e estais a ponderar a forma de dardes o vosso contributo para bloquear este golpe estado em curso?

Sem comentários: