27/07/10

afinal não é a esquerda europeia que é anti-americana, como a direita gostava de dizer na era G.W. Bush


O subsecretário do Tesouro americano, Lael Brainard, num discurso no Peterson Institute for International Economics, um think tank de Washington, opinou que não devemos ser demasiado lestos a fazer marcha à ré em termos de estímulos à economia, já que a recuperação à escala global ainda precisa de apoio. "O ritmo da estratégia de retirada tem de ser cuidadosamente calibrado. Temos que ter cuidado para não ter uma retirada acelerada demais." (aqui o discurso integral)
Para seguirmos a manobra habitual dos "pró-americanos de conveniência", deveríamos agora "denunciar" o anti-americanismo da senhora Merkel, do senhor Barroso e respectivos amigos (e amigos da receita de apertar o cinto até matar o doente). Para eles verem o valor de tal "argumento".

2 comentários:

Ana Paula Fitas disse...

Fiz link, Porfírio.
Abraço.

Porfirio Silva disse...

Obrigado, Ana Paula.
Abraço.