24/01/11

devo ou não devo dar os parabéns a Cavaco vencedor?


No post que escrevi ontem, dez minutos depois das primeiras projecções, onde me reconhecia como derrotado com a eleição de Cavaco, disse que não dava os parabéns ao vencedor.
Um companheiro desta aventura que é "a bloga", Tiago Tibúrcio, critica-me, em comentário a esse post, assim: "dar os parabéns parece-me ser a expressão de respeito que devemos aos nossos adversários políticos e, principalmente, àqueles que os elegem. A prova de que a democracia é a melhor forma de convivermos com as nossas divergências políticas."
Reconheço a pertinência da crítica e reconheço que, para o caso geral, Tiago está certíssimo. Mas insisto em não dar os parabéns ao Cavaco vencedor. Por qual razão? Acontece que eu antevi o que veio a confirmar-se mais cedo do que eu esperava, apenas umas horas depois: Cavaco não acabou a campanha ao saber dos resultados; Cavaco eleito prolongou a disputa eleitoral para dentro do estatuto presidencial, recusando objectivamente ser o presidente de todos os portugueses e escolhendo ser apenas o presidente "dos seus"; Cavaco tratou os que o atacaram politicamente como se fossem maus portugueses e maus democratas; Cavaco, além de se julgar moralmente superior, traça a fronteira da moralidade com a imoralidade junto aos seus pés. Ora, isso é intolerável. Nesses termos, não lhe devo o respeito democrático a que Tiago Tibúrcio se refere. Cavaco, na sua pequenez, esquiva-se ao respeito.

4 comentários:

Vega9000 disse...

Se Cavaco se considera presidente apenas dos "seus" é irrelevante. É o presidente de todos, quer ele queira quer não, e quer nos agrade ou não.
Não dar os parabéns fica-lhe mal, quanto mais não seja porque desce então ao nível a que o percepciona. Quer mesmo ir por aí? Pode não respeitar Cavaco ,eu também não respeito, mas respeito o presidente eleito. Seja ele qual for. Depois, com a legitimidade de o ter feito, já o posso atacar sem dó nem piedade.

Porfirio Silva disse...

Desde quando, para respeitar o presidente, é preciso dar os parabéns ao candidato pela eleição?!
Confesso que, desta feita, não percebi a lógica do seu comentário. Razão pela qual, com franqueza, não acho justo que me acuse de "descer" o nível.

Želimir disse...

Porfírio, parece-me que as cartas estão baralhadas. Porquê dar os parabéns significaria manifestar o "respeito democrático"? Obviamente que o Presidente da República terá o teu respeito, como qualquer outra individualidade ou instituição democrática o terá. Agora, dar-lhe o parabéns, isto é, congratulá-lo por uma vitória que não desejaste, formalmente e sem sinceridade, para quê? Apenas para, hipocritamente, satisfazer um hábito social, intrinsecamente desonesto, em que se diz uma coisa que não se pensa? Eu não lhe teria dado os parabéns non plus. Os níveis de hipocrisia formalizada nas coisas públicas já atingiram um patamar insustentável, é preciso diminuí-los, e não os aumentar.

Porfirio Silva disse...

Concordo, Želimir. É a "langue de bois".
Grande abraço.