04/07/11

não batam mais no Nobre


Fernando Nobre renuncia a mandato de deputado. Cabeça de lista do PSD não informou formalmente a bancada do PSD.

Nobre não é pior do que os muitos populistas que por aí andam. A única diferença é que, regra geral, os que dizem cobras e lagartos dos "políticos" não chegam a ter oportunidade de mostrar o que verdadeiramente valem. Nobre teve várias oportunidades de mostram o que era - e aproveitou bem, mostrando-se à transparência horrenda da vacuidade cheia de si e de arrogância perante os demais. Nobre serve à causa pública de mostruário dos túmulos caiados de branco que andam por aí disfarçados de moralistas.
Entretanto, convém lembrar que o disparate de Passos Coelho com Fernando Nobre não foi original, vinha de antes. Quem teve a brilhante ideia de ir buscar Nobre a casa, para se candidatar a presidente da república, bem pode limpar as mãos à parede.
Oxalá a lição aproveite a alguém.

2 comentários:

joaninha versus escaravelho disse...

Não consigo medir a capacidade de comediante, deste senhor, no sentido em que cada vez que ouço falar dele fico a rir com a boca aberta de orelha a orelha. É imensurável! :)

argumentonio disse...

fecha-se o episódio com mais um travo amargo, correspondente aos dias decorridos desde o patético chumbo inédito do candidato a presidente da AR...

sai sem aquecer o lugar, sem usar a palavra, excepção feita à declaração "parto com o sentimento do dever cumprido" proferida no momento da desistência à candidatura já duas vezes chumbada

ou seja, resumindo e positivando: a) Nobre declarou que só ficava na AR como presidente, para se desdizer pouco depois;
b) seguidamente provou o fel da constatação das duas derrotas pré-anunciadas e face à evidência, com uma latência desnecessária, lá anuiu a desistir;
c) nessa altura, disse que "partia" mas não partiu;
d) nova latência de uns dias e sai mesmo, aliás, soube-se que já tinha saído, justificando a posteriori com a escolha de outras actividades em detrimento daquela para que foi eleito em sufrágio universal;
e) tais razões, da sua livre escolha contra a escolha dos seus eleitores, seriam relativizadas se tivesse sido eleito presidente da AR?

à lembrança final do post pode talvez perorar-se que Nobre terá cumprido a missão para que o foram "buscar a casa" nas presidenciais, consistindo em dividir a esquerda para assegurar a eleição de Cavaco logo à primeira volta, pois à segunda Mário Soares bem sabe que a história pode ser outra

quanto à missão por interposto Passos Coelho, certo é que o PSD se destacou e obteve uma confortável maioria, muito provavelmente cavalgando votos da sociedade civil que em cada ciclo eleitoral fazem de contrapeso para decidir o escrutínio

e faz mais uma generosa missão ao PSD, à AR e ao País, zarpando para outras paragens

quanto à lição, aproveitará eventualmente a Fernando Nobre, de tão evidente instrumentalização em que se deixou enredar pelo seu próprio e vaidoso penacho - mais alguém poderia aprender algo com semelhante chorrilho de estratagemas e calculismos político-partidários? jametinhasdito!
;_)))