04/06/12

troikar o comunicado por miúdos.


A Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional emitiram hoje um comunicado sobre a quarta avaliação trimestral do programa económico de Portugal. Trocando por miúdos: os funcionários da troika deram o boletim de notas deste período à turma portuguesa, aproveitando para fazer redacções escolares sobre a sua fé ideológico-económica.
O comunicado mostra como são sagazes. Vejamos este exemplo:

«O acentuado aumento do desemprego exige medidas políticas decisivas. O desemprego temporariamente mais elevado faz parte da transição para uma economia mais direccionada para as exportações, mas a sua subida foi exacerbada pela já antiga rigidez do mercado laboral português. A recente aprovação da revisão do Código do Trabalho deverá atenuar a perda de postos de trabalho. O amplo programa de reformas estruturais e o reforço da capacidade de utilização do sector da exportação deverão ajudar a recuperar o emprego, a médio prazo. Contudo, são urgentemente necessárias mais medidas para melhorar o funcionamento do mercado laboral. Estas incluem reformas institucionais que permitam às empresas maior flexibilidade para ajustarem os custos do trabalho e a produtividade.»

Quer dizer: aumentem a precariedade dos trabalhadores para que eles se dêem por satisfeitos pelo simples facto de continuarem vivos; retirem qualquer entrave ao arbítrio dos patrões de vão de escada, porque só quando se sentirem ditadores caseiros de pleno direito é que terão as boas ideias de gestão que nunca mostraram (excepção feita à conversão de fundos públicos em Ferraris privados); transformem o mercado de trabalho - ainda mais, se possível for - numa selva, porque a fé económica que professamos só compreende a selva.
Quer dizer: tudo o que seja qualificar as organizações, condição necessária à produção competitiva, coisa impossível sem trabalho mais digno e mais estimado, tem de ser afastado. A teoria selvagem de que somos todos melhores quando estivermos todos à rasca continua, after all these years, a ser um neurónio isolado a chocalhar nestas cabeças.

Felizmente, este é o trabalho das formiguinhas da troika, mas há quem, apesar de tudo, e em grande medida graças ao impacte da eleição de Hollande, esteja a pensar mais seriamente em aprender com as lições dos erros passados.

Sem comentários: