09/10/11

primárias e primários.


Socialistas franceses decidem candidatura presidencial com "primárias" abertas a não militantes.

«Pela primeira vez em França, a escolha de um candidato socialista à presidência poderá ser feita por qualquer eleitor que pague um euro e que assine um papel a dizer que partilha "os valores da esquerda e da República". A inovação valeu uma exposição mediática inédita dos candidatos, com audiências televisivas recordes para debates políticos entre candidatos da mesma família política.»

Por cá, foi pena que, na última campanha para a liderança socialista, esta possibilidade de maior osmose entre partidos e cidadãos tenha sido descartada com demasiada facilidade, ainda por cima atropelada por um apelo demagógico contra "a invasão do PS pelos estranhos". Neste ponto concreto, Seguro esteve mal, usando uma receita que não é nova no PS (matar debates para atalhar votações). Espero que um dia, mais cedo do que tarde, a actual liderança do PS faça a Assis a justiça de lhe repegar a proposta e colocá-la a debate, dessa vez com seriedade.

2 comentários:

José Geraldes disse...

Totalmente de acordo. Será preciso voltarmos à era dos estrangeirados para copiar o que de bom lá se faz fora.
O meu PS anda envergonhado e medroso. Assim, ninguém ganha eleições.

Porfirio Silva disse...

Eu não sou tão radical. Acho que é cedo para julgar está direcção do PS. Não é evidente qual o melhor caminho nestas circunstâncias.