17/10/11

o corpo da máquina.


Notícias do Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa.
O Projecto Interno "Perspectivas sobre o Corpo: Filosofia, Ciência e Arte" inaugura este mês um ciclo de palestras sobre o tema do corpo, com uma conferência de Porfírio Silva (ISR-IST) intitulada "O corpo da máquina".

Data e local: Quinta-feira, 20 de Outubro, pelas 18h00, na Faculdade de Ciências da UL, no prédio C8, piso 2, sala 8.2.23.

O CORPO DA MÁQUINA
Porfírio Silva

As primeiras reflexões críticas sobre os fundamentos do programa de investigação da Inteligência Artificial clássica tiveram como foco organizador a questão do corpo, ou, melhor, o problema da ausência (ou incompreensão) do corpo naquela visão dos seres inteligentes. A viragem da IA clássica para a Nova Robótica, que, em larga medida, representa uma profunda transformação das Ciências do Artificial, em parte regressando ao primeiro impulso cibernético, é guiada pela questão do corpo (e do corpo no mundo). Pensa-se o robô autónomo como uma inteligência com corpo, profundamente ligada às competências sensoriais e motoras que lhe permitem certos comportamentos num certo mundo. Nesse sentido, foi dado um certo corpo à máquina para que ela possa ser inteligente. Contudo, no cerne do projecto continua a estar uma concepção de “corpo da máquina” que é profundamente abstracta (digital, por contraposição a analógico). Vamos olhar para certos aspectos desse empreendimento, e serão apresentadas experiências com “hardware evolutivo”, para que se possa começar a questionar o pacote de pressupostos implicados no projecto de “dar um corpo às máquinas inteligentes”.




Sem comentários: