05/02/11

as revoluções amargas


Há quem ache um exagero comparar o futuro possível do Egipto com a queda do Xá e a entrada de Khomeini no Irão, em 1979.
Há que ter esperança nas diferenças, sim; mas as diferenças que queremos que existam nem sempre nos fazem esse gosto.
Julgo que, pelo menos numa coisa, a analogia é válida: o facto de alguns serem capazes de ver os perigos que estão no bojo da actual situação, sendo bom, não é suficiente para conter esses mesmos perigos. Isso aconteceu em 1979 e pode voltar a verificar-se.
Vale a pena (re)ler, a propósito, Persepolis, a magnífica banda desenhada de Marjane Satrapi.
Entretanto, para quem compreenda o francês, é interessante lembrar (com o vídeo abaixo) como sectores da esquerda marxista iraniana se aperceberam do perigo e o denunciaram ("nem por Deus, nem contra Deus", manifestação poucos dias antes da entrada de Khomeini). Demasiado tarde?

video
 TF1, 21/01/1979, jornal das 20h

Sem comentários: