19/05/10

a moção de censura, ainda


Acerca do post a moção de censura, há opiniões respeitáveis que me contrapõem com a insistência na necessidade de unidade em tempos difíceis. Num país cujo parlamento escreve o que lhe apetece, quaisquer que sejam os factos (está à vista, com a comunicação social dócil a tecer loas ao governo todos os dias, quem a controla); num país em que "grandes empresários quase apelam ao saque das lojas (provavelmente da concorrência), há quem ache que uma moção de censura é que perturba o "clima de unidade". Opiniões. Como tal, respeitáveis, claro. Eu, por mim, prefiro sempre quando as instituições funcionam. Prefiro sempre que as fraquezas dos agentes políticos sejam vertidas em mecanismos institucionais sãos, como é uma moção de censura, mesmo que inconsequente - do que ver o saque às instituições que tem sido a "estratégia política" dominante.

Sem comentários: