13/05/10

europas há muitas (precisamos de mais esquerda europeísta)

Jorge Bateira, no Ladrões de Bicicletas:
«Antes que seja tarde, a UE tem de pensar o impensável: a subordinação da finança ao poder político e, rapidamente, dar mais passos em direcção ao federalismo. Menos do que isto não chega.»
Um conselho: ler na íntegra: Os especuladores são europeístas?

(O ponto é este: para estar na UE é preciso estar disposto a batalhas políticas pesadas, procurando aliados, juntando pequenas forças que incomodem os grandes, desafiando as situações que nos são inconvenientes, construindo alternativas. O governo de Portugal joga-se na UE, em grande parte. É assim que é preciso pensar. Posso até não estar de acordo com tudo o que diz o Jorge Bateira, que, a meu ver, comete o erro de isolar a questão económica de outras políticas. Mas, certo certo, é que é preciso encarar a frente europeia como a nossa batalha nacional mais importante. E, para isso, precisamos de mais esquerda europeísta; para isso, a esquerda que se limita a estar contra a UE - é inútil. Inútil, precisamente.)

Sem comentários: