30/12/11

prendas para 2012.


Impiden a un indignado subir a bordo de un avión por llevar carteles anarquistas.

Se isto for verdade (não creio que esteja ainda claro o que realmente aconteceu), e práticas deste tipo ("prevenção do terrorismo" visando pessoas que divulgam as suas ideias acerca do tempo actual) se espalharem em 2012, voltamos à trincheira onde se discutem as liberdades básicas. Não os direitos sociais e coisas assim sofisticadas, mas o mínimo de podermos comunicar o que pensamos. Note-se: nada disto depende de estarmos de acordo com esta ou aquela leva de "indignados". Está em causa, tão-somente, que sem a liberdade de expressão de ideias diferentes das minhas, são as minhas ideias - as minhas liberdades - que entram no inferno. Está em causa o terrorismo empresarial: empresas que se chegam à frente para discriminar cidadãos com certas ideias, em nome do sossego da clientela. E comunidades políticas que aceitam isso. Vergonhosamente.

Sem comentários: