09/03/12

será mesmo marido de papéis passados?, eis a magna questão.


A ex-deputada e dirigente do PSD Ana Manso terá, enquanto directora da Unidade de Saúde Local da Guarda, nomeado o marido para auditor interno daquela unidade de saúde. Segundo o SOL, a administração remete explicações para o início da tarde. Se vier a sair um comunicado a dizer que a senhora não pode ter nomeado o marido, por nem sequer ter marido, não se esqueçam de perguntar se marido Manso e esposa Manso o são apenas informalmente. Não vão eles ter aprendido a lata da ministra da justiça, que diz que não tem cunhado por não ser casada - mas esquecendo-se de dizer que tem namorado, amante, concubino, paixão de junto viver, ou o que seja. E que, portanto, para aquilo que ao público importa, tem cunhado, sim senhora. Não que a mim me rale que tenham ou não papéis - mas rala muito que queiram fazer passar o país por tolo, com meias palavras.

(Adenda: o marido não vai ganhar nada pelas funções. Ainda bem. Mesmo assim: é tão pequeno o país e o lote dos servidores públicos, a ponto de ter alguém de se servir da prata da casa para gerir como deve ser um serviço?)


Sem comentários: