13/03/12

por cá, o zé povinho não precisa.


Os ministros das Finanças da zona euro aceitaram ontem flexibilizar a meta para o défice da Espanha, de modo a ter em conta a degradação da situação económica.

«Mariano Rajoy, primeiro-ministro espanhol, causou a surpresa dos seus pares ao anunciar no início do mês um objectivo para o défice deste ano de 5,8% do PIB, em vez da meta de 4,4% assumida pelo anterior governo socialista.»

Já o nosso PM não causa surpresa nenhuma, passada a surpresa de termos percebido que a sua campanha eleitoral foi uma mentira pegada.

«Segundo Vítor Gaspar [continua o Público], a zona euro considerou que "o valor verdadeiramente importante e vinculativo" é a meta de 3% do PIB em 2013, sendo o resultado deste ano uma etapa intermédia.»

Já nós, valentões, não precisamos nem de mais tempo nem de mais dinheiro. As pessoas que apertem o cinto, que faz bem à figura; as empresas, que se tornem capazes de pressionar o governo para terem umas prendas tipo Lusoponte. Isto é: o zé povinho que se habitue à normalidade dos cortes extraordinários; os tubarões, façam pela vida e encontrem umas compensações extraordinárias. Só é pena que não haja pacotes de milhões de euros para todos.

1 comentário:

coraçãodemaçã disse...

Pergunta boa, essa, sim senhor. Como reage a essa notícia o gado, aqui no país do curral? Sim, porque estamos encurralados e sabêmo-lo. E que escrevem, dizem e peroram os senhores jornalistas, os senhores cronistas e suas exªs, os senhores comentadores avençados? Hein? Bacoradas. Isto é, NADA de significativo...

Dri