25/05/12

sms para Relvas.


À atenção do ministro Relvas, uma declaração minha, pessoal, sem assessor nem adjunto (que não se demitiu, simplesmente nunca existiu).

Eu, por vezes (quer dizer: com interrupções, mas involuntárias), vivo com uma pessoa (não vou dizer se é homem ou mulher, ou nem por isso) que é, ou foi, ou esteve para ser, ou ainda pode vir a ser, membro de um partido da oposição (não digo de qual oposição se trata, mas NÃO é o CDS, embora o CDS seja um partido e me pareça que actualmente está, pelo menos a meio tempo, na oposição).
Senhor ministro, digo isto para não lhe passar pela cabeça divulgar o nome dessa pessoa na "internet", porque a "internet" é um sítio tramado para se "colocarem" coisas, sendo que eu ficaria em grave risco se se soubesse que tenho qualquer tipo de ligação a pessoas da oposição, já que, com a popularidade que o senhor ministro granjeou por mérito próprio, a mera suspeita de que eu poderia não fazer parte dos seus admiradores acarretaria desgostos enormes aos meus amigos. Embora, como efeito secundário, isso poderia ter a consequência agradável de dissuadir alguns dos meus amigos (especialmente aqueles que mal conheço mas almoçam comigo de quando em quando) de continuarem, neste ano da graça de 2012, a enviar-me sms sobre a ida de Geoge W. Bush ao México em 2007, coisa manifestamente despropositada e que ainda pode causar-me aborrecimentos.

Relvas ameaçou divulgar na Internet que a jornalista do Público vive com um homem de um partido da oposição.

Miguel Relvas jantou com ex-espião no Gigi.

Adjunto de Miguel Relvas demitiu-se.

Sem comentários: