23/08/14

António Costa e o Espírito Santo.



Gosto de respeitar as pessoas, mas não gosto de meias palavras. E coisas que me cheiram a esturro obrigam-me a falar.

A manipulação jornalística tem uma das suas principais armas naquilo que é apenas sugerido: não dito, mas sugerido. Quem se pode defender de uma sugestão, de uma impressão, de algo que não é posto preto no branco?

O Expresso publica hoje uma entrevista com António Costa. Um dos destaques desse trabalho faz título com uma citação de AC: "É crime almoçar com Salgado?" Este título sugere - a meu ver sugere - que António Costa se justifica de algum almoço com Salgado atacando a ideia peregrina de que isso seja em si mesmo criticável. E isso não é em si mesmo criticável. Mas... entretanto, o facto de AC explicar que nunca almoçou ou jantou com Salgado passa para segundo plano. Em primeiro plano ficou a sugestão de uma certa complacência com o homem do Espírito Santo. Muito conveniente, especialmente quando se sabe o ror de calúnias que têm sido espalhadas nas ruelas escuras das redes sociais para tentar enlamear AC com inventadas conivências com o Espírito Santo.

Um jornalista nunca pode ser tomado por ingénuo. Certas coincidências são ou falta de profissionalismo ou um exercício de manipulação. Não quero dizer-vos neste momento qual é o meu diagnóstico neste caso.



Sem comentários: