14/10/10

brasileiros de olho em Portugal


Chico Buarque lidera manifesto por Dilma e Frei Betto defende-a como cristã.

Quando Lula era candidato a presidente, diziam que ele era um radical que ia dar cabo do Brasil. Agora tentam a mesma jogada contra Dilma. Dilma tem vários crimes no cadastro. É apoiada por Lula, coisa que irrita todos aqueles que agora fazem de conta que gostam muito de Lula mas na verdade o detestam (nomeadamente os que se mordem de ele ter aproveitado bem o trabalho de Fernando Henriques Cardoso). Opôs-se à ditadura com os meios que a ditadura deixava. Parece que é indiferente à religião, embora agora seja crente para crente ver.
Tentando contrariar a mobilização das armas sujas na guerra contra Dilma (por exemplo, Serra chamou o assunto Deus na TV para a atingir), um vasto grupo de gente que pensa organiza-se em manifesto para a apoiar. E, para o efeito, não tem papas na língua. Vejam: «O comportamento da oposição lembra "os argumentos que prepararam o golpe de 1964", por exemplo nas "críticas ao "populismo"", diz o manifesto. Inconformada com "a ampla aprovação da sociedade brasileira" ao Governo Lula, "uma minoria com acesso aos meios busca desqualificar esse povo, apresentando-o como "ignorante", "anestesiado" ou "comprado pelas esmolas" dos programas sociais". Essa minoria confunde sociedade de direitos com "sociedade de favores" e, "em nome da liberdade de imprensa, quer suprimir a liberdade de expressão".»
Outros pontos desse manifesto são perfeitamente aplicáveis a Portugal. Leiam: «É profundamente antidemocrático - totalitário mesmo - caracterizar qualquer crítica à imprensa como uma ameaça à liberdade de imprensa.»
Exactamente.

Sem comentários: