04/12/14

estado da nação.


Este governo PSD/CDS falhou - segundo os seus próprios critérios.
Vejam isto:

«Nesta Assembleia a maioria (ou a maioria da maioria) aprovou há poucos dias o Orçamento para 2015. E pretendeu transmitir ao país que desta vez é que é, a viragem está mesmo aí e 2015 será o ano da recompensa.

Mas olhemos um pouco mais de perto e relembremos o compromisso aqui assumido pelo governo PSD e CDS em Agosto de 2011 no Documento de Estratégia Orçamental então apresentado. Aí se estimava que a partir de 2013 a economia começaria a crescer e a recuperação seria uma realidade.

Pois bem, olhando hoje para a estimativa do PIB prevista no OE ela está 6,2% abaixo na previsão, deste governo em 2011. Assim é, menos 6% é a dimensão do falhanço e é nele que radica grande parte do retrocesso que vivemos.

Previa o Governo em 2011, e não falo da campanha eleitoral mas do governo já em pleno exercício, que as exportações seriam o motor da recuperação. Mas o que verificamos hoje é que as estimativas para 2015 do tal Orçamento em que ninguém acredita, colocam as exportações 7,1 % abaixo das previsões de 2011.

A mudança no modelo económico que então se prometia, não chegou.
E que dizer do colapso do investimento na economia? “Apenas” 21,1%, repito 21,1% abaixo do previsto em 2011.

Ou do emprego com menos 280 000 postos de trabalho relativamente à estimativa então elaborada.

Com todo este desvio entre o compromisso e a realidade (mesmo a realidade dourada dum orçamento de fantasia) como é possível não responsabilizar esta política pela degradação social que vivemos?»

O que deixo acima é um excerto da intervenção do Deputado Vieira da Silva na Interpelação ao Governo sobre “Combate à pobreza e promoção da igualdade de oportunidades” (3 de Dezembro de 2014).

Cada minuto desta intervenção de Vieira da Silva vale a pena, pela sua objectividade e clareza. Por isso a deixo na íntegra.





Sem comentários: