4.10.07

Free Burma !

21:13

Free Burma!



Eu apoio a campanha internacional «Free Burma!». Eu acredito que vale a pena empurrar, empurrar os que esperam sentados nos seus tronos pela passividade geral. Eu acredito que vale a pena fazer saber aos que lutam que o mundo olha para eles. Quero apenas ser mais um, engrossar o número dos que levantam um braço, só isso. Para que os que reprimem possam tomar conhecimento de quantos se opõem. Para que os que resistem possam ser informados de que não estão sós. Só para isso servem as nossas vozes pequenas. Mas isso talvez um dia valha alguma coisa.

Eu tenho pena de não poder ir...

Ciclo de Conferências
EVOLUÇÃO E CRIACIONISMO: UMA RELAÇÃO IMPOSSÍVEL.



Na Culturgest, nos fins de tarde de 8 a 12 de Outubro, associado ao lançamento de um livro pela QUASI subordinado ao mesmo tema (e com o mesmo título).

Mais informação no sítio da Culturgest, cantinho dedicado a esta iniciativa.




Putin



Depois da Polónia... os gémeos russos.

(Cartoon de Marc S.)

Controlo cerebral

No passado 9 de Julho publicámos aqui um apontamento, Controlo mental, onde se falava das possibilidades actuais de fazer com que o nosso cérebro controle directamente os movimentos de próteses externas. A edit on web publicou recentemente novidades de investigação no mesmo campo, para as quais nos permitimos chamar a atenção. Estão num texto de Filipa Ribeiro, intitulado Poderá o nosso cérebro controlar um computador? e que incide sobre investigação realizada na Universidade de Aveiro. É de ir ver, pensamos nós.

2.10.07

Prémio Literário Políbio Gomes dos Santos

09:20
Escrevemos aqui anteriormente umas poucas linhas acerca do poeta. Digamos agora qualquer coisa sobre o prémio literário.

A Câmara Municipal de Ansião instituiu e retomou este ano, no âmbito da sua política cultural, o Prémio Literário Políbio Gomes dos Santos. O prémio, dedicado exclusivamente à poesia e tendo como "patrono" aquele poeta natural de Ansião, é promovido com a colaboração da Associação Portuguesa de Escritores, que indica dois dos três membros do júri.
No passado dia 13 de Agosto podia ler-se o seguinte na página de entrada do site do Município de Ansião:

Foi revelado no dia 12 de Agosto, em cerimónia integrada nas Festas do Concelho 2007,o vencedor do Prémio Literário Políbio Gomes dos Santos.

O vencedor foi Porfírio Simões de Carvalho e Silva, de Lisboa, com o trabalho Horas do Tempo Comum. Para além do prémio monetário de 2.500 Euros, o autor teve a satisfação de, logo no momento de revelação da sua vitória, uma editora ali representada ter manifestado interesse na publicação do seu trabalho.

Este Prémio Literário tinha 68 trabalhos admitidos a concurso, um sinal inequívoco do seu mérito e do interesse que suscitou.


Temos, portanto, que este vosso parceiro de blogosfera teve um prémio de poesia. Não é, de momento, um dos mais prestigiosos prémios de poesia do nosso país, bem sei. E também não passo a ser poeta por ter ganho um prémio de poesia. Mesmo assim não deixei de ficar muito contente com o facto, como se compreende. E agradeço daqui aos amigos que comigo se alegraram.

Numa próxima intervenção aqui no blogue publicarei um dos poemas que pertencem à obra premiada. O qual é, claro, absolutamente inédito. Podem começar a afiar as facas.


Recorte do jornal Serras de Ansião
(Ano XVIII, nº 206, 15 de Agosto de 2007, p. 17)

(clicar para aumentar)



(Foto "Notícias de Ansião")

1.10.07

O poeta Políbio Gomes dos Santos

11:06
«Nascido em 8 de Agosto de 1911, em Ansião, fez estudos em Leiria, de onde partiu para Lisboa, a fim de frequentar, contrariado, o Instituto dos Pupilos do Exército, que cedo abandonou, por motivos de saúde. Em Coimbra, concluiu os estudos liceais e matriculou-se simultaneamente nos cursos universitários de Letras e de Direito. O seu destino ficou ligado a esta cidade: aí publicou o único livro de poesia enquanto vivo, As três pessoas, e integrou o grupo de poetas que formaria o Novo Cancioneiro. Em Setembro de 1938, foi surpreendido pela doença e internado, com tuberculose pulmonar, no Sanatório da Guarda. Morreu na sua terra natal, em 3 de Agosto de 1939.
O amor dos deuses não permitiu que o malogrado Políbio Gomes dos Santos (...) viesse a tornar-se um dos maiores vultos da lírica neo-realista, como prometiam os seus versos (...).»

Estas são palavras escritas por Luís Adriano Carlos no Prefácio ao volume Poemas, de Políbio Gomes dos Santos (Campo das Letras, colecção Obras Clássicas da Literatura Portuguesa, século XX).


Em breve explicaremos a que vem esta referência a este poeta.



Manuscrito de um dos poemas da obra As três pessoas,
de Políbio Gomes dos Santos
(clicar para aumentar)

30.9.07

Fenómeno linguístico

Sguedno um etsduo da Uinvesriadde de Cmabgirde, a oderm das lertas nas pavralas não tem ipmortnacia qsuae nnhuema. O que ipmrtoa é que a prmiiera e a utlima lreta etsajem no lcoal cetro. De rseto, pdoe ler tduo sem gardnes dfiilcuddaes... Itso é prouqe o crebéro lê as pavralas cmoo um tdoo e nao lreta por lerta.

(Roubado, com uma vénia, ao Incursões.)

ECAL 2007 foto


É que descobri hoje esta foto na página da ECAL 2007. Lá estou eu a receber o certificado do prémio (e o cheque...) das mãos de Takashi Gomi, estando também, entre outros, o presidente da Comissão Organizadora, o português (mas trabalhando na Universidade de Sussex), e filósofo, Fernando Almeida e Costa.


(Clicar para aumentar.)