04/11/14

uma história macabra na faculdade dos direitos.


http://www.publico.pt/politica/noticia/estudantes-indignados-por-a-faculdade-de-direito-de-coimbra-recusar-sala-para-debate-politico-1675059

Inaceitável que estejam a triturar o director da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra por ele ter recusado acolher um debate político nas instalações da ilustre escola.

Afinal, ele apenas queria participar na troca de ideias.

Vejam bem. O debate tinha o tema "A esquerda, a direita, o agora: haverá espaço para as ideologias no mundo actual?” e ele deu a sua opinião: não, não há espaço para ideologias - pelo menos na minha faculdade.

Já os matemáticos, que percebem menos de direitos e de democracia, autorizaram a sessão. Só lhes fica mal: é do conhecimento de qualquer comentador medianamente de carreira (isto não é nenhuma piada a Medina Carreira) que ideologia e rigor numérico conflituam frequentemente.

Agora a sério, que o caso é sério: um director de uma faculdade acha que esse lugar não deve acolher debates políticos? Caramba, por que diabo andará tanta gente empenhada em fazer pedagogia anti-democrática? É pena que se critique com escândalo qualquer tosse de um político e, ao mesmo tempo, se deixe passar em branco um distinto professor que passa a mensagem da inconveniência do debate político civilizado entre os muros de uma faculdade dos direitos. Ou que passe sem consequências que se faça censura numa revista científica para não assustar as consciências dos poderosos do momento.

Será que as pessoas deixaram de ter a mais pequena consciência de como se desenvolveram processos históricos tão dolorosos que estão bem mais próximos de nós do que as calendas gregas?!

(clicar na imagem para ler a notícia)


Sem comentários: