19/07/13

é contra toda a teoria política que a direcção do PS tenha enlouquecido, não é ?


Leio por aí (não vi, não ouvi) que António Costa disse ontem na Quadratura do Círculo que não tem informação nenhuma sobre o que está a ser negociado entre o PS e os partidos da coligação governamental de direita. Se isso for verdade - se AC o disse, acredito que seja - isso quer dizer que a direcção do PS tem um entendimento estranho da "paz interna" celebrada no último congresso.

Quer dizer: se for verdade que António Costa não está a ser tido nem achado neste momento crucial para o PS, isso quer dizer que a direcção de António José Seguro apenas quis meter os descontentes no bolso com o "consenso interno" e, depois, na prática, está-se marimbando para a opinião e o envolvimento de uma das figuras do PS que mais esperança representa hoje na sociedade portuguesa: o actual e futuro presidente da câmara municipal da capital.

Se também for verdade, coisa que também leio por aí, que António Costa defendeu um acordo entre todos os partidos que mostre a quase unanimidade dos portugueses a pretender a renegociação do memorando, ficamos entendidos: ou a direcção do PS está só a fazer ginástica de aquecimento na mesma sala que o PSD e o CDS mais uns amigos de Cavaco Silva, para os entreter, ou, se está mesmo a negociar qualquer coisa que possa salvar este governo das chamas do inferno (e não o país) , vai causar um grande estrago ao PS.

São momentos como estes que definem um líder. Seguro, que parece que ainda não teve direito à sua prova de fogo, pode vir a definir-se nesta tempestade. Eu, que sou paciente e tolerante, espero para ver - mas Seguro que não se fie, porque, com esta direcção do PS, há pouco por aí quem ainda seja paciente e tolerante. Et pour cause.

3 comentários:

Jaime Santos disse...

People who think that something is foolproof underestimate the ingenuity of fools... Seguro está suficientemente ávido da sua prova de fogo como 'Homem de Estado' para ser a primeira (e eventualmente única) vítima de uma crise política causada por outrem... Cavaco pode ter todos os defeitos, mas é um refinado táctico de política, que anda nisto há décadas... Quanto à irrelevância a que Seguro tem votado Costa, não é nada que este não mereça, depois do 'agarrem-me, senão candidato-me...'. E digo-o, mesmo se admiro a inteligência de António Costa, que acho estar a milhas de Seguro (para melhor)...

Porfirio Silva disse...

Espero não ter escrito em lado nenhum que subestimo Seguro. Porque não é o caso. Aliás, acho que o PS está a tentar não ficar com as culpas de não haver acordo, ficando com os louros de não haver. E acho que o PS faz bem, nesse ponto. O ponto do post é outro: a "unidade interna" é, mais uma vez, um teatro sem substância - especialmente para a direcção. E isso, sim, mais tarde ou mais cedo, pode pagar-se caro.

Jaime Santos disse...

Não creio que o Porfírio tenha dito algures que subestima as capacidades de Seguro (para fazer seja o que for). O meu 'soundbyte' era só uma resposta humorística ao título do seu post. Porque, por um lado, a direção do PS está a jogar um jogo de alto risco em que porventura não se deveria ter metido, e por outro, em que provavelmente não se teria metido se tivesse escutado Costa (o que tem a ver com o outro aspeto do seu post). Só que, como eu disse, Costa fragilizou-se com o 'acordo de unidade interna' que estabeleceu com Seguro... Teria sido preferível ir a jogo e perder a parada. Mesmo que ficasse sem a CML, Costa teria sempre lugar na Quadratura do Círculo... Se a sua opinião seria mais valorizada dentro do PS se tivesse dado a cara, não sei, isso dependeria da capacidade de Seguro em ouvir quem o critica... Ainda assim, parece-me que Seguro escuta mais Assis (que foi a jogo) do que Costa, mas o primeiro nunca teve obviamente o peso político do segundo...