05/03/13

voragem.


Político conservador grego condenado a prisão perpétua por desvio de 17 milhões de euros.

A propósito da notícia de que um político grego, considerado culpado de um desvio de 17 milhões de euros, foi condenado a prisão perpétua, leio "por aí" (redes sociais) muito regozijo.

Parece que a conversa dos direitos humanos é só para os dias de sol, coisa que se esquece facilmente em dia de chuva. Ainda há quem responda "pior seria a pena de morte". Não vale a pena repetir os argumentos expandidos há dezenas de anos acerca da precariedade da justiça humana: neste clima já não se ouve nada.


Sem comentários: