20/02/13

uma lágrima pelos reservistas com mal usadas cautelas.


Uma simples frase batida explica os boicotes: a política tem horror ao vazio. Se nada preenche a falha, a falta de uma visão alternativa credível, abrangente e mobilizadora, as pessoas não aguentam ficar suspensas sobre o abismo da inevitabilidade do actual estado de coisas. Os políticos não podem pensar que têm o direito de apresentar propostas para sair daqui. O que eles têm é o dever de o fazer. O dever, não o direito. Apressem-se, porque isto é uma urgência. As reservas da República que não se deixem distrair: se pensarem demasiado sem agir, passarão directamente da reserva para o caixote do lixo da história. E os que mergulharem em sangue, suor e lágrimas (talvez em vão), farão o monumento à excessiva cautela politicamente criminosa.

Sem comentários: