29/11/12

o Estado vai passar a fazer os orçamentos das famílias?


Governo abre a porta a que o ensino secundário passe a ser pago.

O ensino secundário é obrigatório. Até agora, também é gratuito. Se o passismo levar a sua avante, o ensino secundário deixa de ser gratuito. Pode, deixando de ser gratuito, continuar a ser obrigatório? Apesar dos constitucionalistas, acho que não. (E não estou assim tão preocupado com os constitucionalistas: afinal, parece que tudo se pode defender juridicamente, desde que chegue a vontade para tanto.) Há um interesse nacional em elevar a qualificação dos portugueses e isso justifica a obrigatoriedade do secundário - mas, fazendo pagar o que é obrigatório, temos o Estado a fazer o orçamento das famílias, dizendo onde têm de gastar. A fazer o orçamento de cada família com filhos em idade de cursar o secundário.
As famílias têm uma escapatória: manter a pequenada, repetência após repetência, no ensino básico, que esse é gratuito por obrigação constitucional. Até se extinguir a obrigação... Ideia estapafúrdia? Certamente; tão estapafúrdia como pensar a educação como sítio para cortar no "Estado", em vez de a tratar cada vez mais como desígnio estratégico sempre e sempre a precisar de mais investimento.
Ou o melhor será aprender mandarim e ir para a porta das empresas onde primem administradores chineses?

1 comentário:

Orlando Pinheiro disse...

Daqui a um ano e meio este pm dará uma entrevista a um qualquer canal de TV, em que anunciará que conseguiu salvar o estado social da derrocada,instilando o medo nos cidadãos deste pais.Estas declarações inserem-se numa politica bem orquestrada de manipulação da opinião publica, e entreter os nossos comentadores para relevar estas declarações. O cortejo bem afinado por parte dos políticos e comentadores do psd sobre as medidas aplicadas é evidente e basta ver o timing das intervenções.