29/11/12

cambaleão = cambalhota + camaleão.


Barroso assume ideias alemãs para a resolução da crise do euro.

A escola maoísta portuguesa tem muitas variantes, mas uma ideia é património de todas as sub-seitas: "perder é que não". Tudo tem de ser feito para ganhar e isso vem muito antes de qualquer ideia-mais-ideológica. Barroso personifica exemplarmente essa escola: ele pode mudar de "programa" para a Europa (ou para Portugal, ou para o mundo) todas as vezes que a manobra possa aplainar o caminho para a sua ambição pessoal. O homem não emigrou apressadamente para ter de voltar ao seu torrão natal: a saga tem de prosseguir. De guinada em guinada, que importa isso.

Sem comentários: