20/07/12

quantas vidas tem um homem mortal?


Morreu José Hermano Saraiva. Que descanse em paz. Sinceramente.

Mas os que fazem gala de ignorância (ou por serem ignorantes ou por pensarem que nós somos) ocupam a cena com grande diligência. Desde o senhor Aníbal, que parece que gostava de contar segredinhos familiares à polícia política, até ao nosso primeiro-ministro, que se calhar nunca estudou história para lá da inventona dos pregos na Avenida contada pelo amigo Ângelo, servem-nos a propósito deste falecimento um branqueamento de mau gosto. Tenho muita honra, como português, em que a revolução que se seguiu a Abril de 1974 tenha deixado ir em paz praticamente toda a gente que tivera ferozes responsabilidades na repressão durante a ditadura. Também nisso a nossa revolução foi grande de espírito. Mas não nos façam de tolos. Senhor PR e senhor PM, se não sabem quem foi José Hermano Saraiva, leiam, por exemplo, aqui e aqui.


3 comentários:

coraçãodemaçã disse...

Olá, Porfírio.
Fui ver lá e lá. Fiquei bem mais esclarecida sobre a personagem falecida.
Agradecida e tal, estou de ida.
Fique bem.

Dri

Anónimo disse...

Porfírio,
No mesmo dia faleceu Helena Cidade Moura. Ouviste algum elogio nos media?
Lamentável, os branqueamentos. da vida do primeiro, da morte da segunda...
Abraço, Mab

Porfirio Silva disse...

Mab,
Tens toda a razão. Cheguei a pensar escrever aqui sobre ela, mas também não me senti qualificado para isso. (Se calhar tenho mais jeito para dizer mal do que para dizer bem.) Se calhar fiz mal. Mas a falta de lógica destas coisas é incrível, efectivamente.
Abraço.