23/05/12

cuidado com as liberdades (continuação).


Enquanto a tal empresa não puder pedir ao tribunal que profira uma sentença e a esconda, podemos ler, transcritos na sentença, os comentários que a empresa pediu que fossem censurados e o tribunal acedeu a que fossem censurados. Está aqui à vossa disposição (obrigado, Shyznogud).
(Ou será que o tribunal é mais manhoso que a empresa e deu tal decisão para fazer ainda mais publicidade à tal empresa e às suas práticas?!)


Sem comentários: