10/01/12

a solidão do primeiro-ministro.




O PM de Portugal, com tantas trapalhadas que o seu governo anda a fazer, começa a temer que ninguém se queira sentar à mesa com ele, nem sequer para tomar café.
Essa circunstância pode afectar psicologicamente PPC, que, ainda por cima, dado o cargo que ocupa, não pode juntar-se aos seus amigos reunidos no Conselho Geral e de Supervisão da EDP, Luminárias Orientais, Sociedade por Quotas.
Os estrategas do Blogue a Dias, reunidos no gabinete de Relvas, trataram de arranjar remédio.
À boleia do novo portal do governo e, além de aproveitarem para mandar para o lixo muita informação dos governos da era pré-histórica (antes de Passos), criaram uma solução para a solidão de PPC.

A coisa chama-se "o meu movimento" e vem assim explicada no novo portal do governo:
1 - Apresente-nos o seu movimento e o ideal que defende.
2 - Promova-o no Facebook e angarie o maior número de votos. (Parece que os emigrantes também podem votar.)
3 - O mais votado terá uma audiência com o primeiro-ministro de Portugal.

Ora aí está: PPC vai, assim, ter gente que, tendo um movimento, e gostando muito do Facebook, será levada à presença do querido líder. O querido líder aproveitará, então, para, com uma periodicidade que ainda não se pode garantir, avistar alguns membros do povo que ainda consigam arrastar-se até ao Palácio de S. Bento.

Ontem à noite já havia vários movimentos importantes anunciados no portal do governo de Portugal. Por exemplo: O Movimento de Carlos, O Movimento de João, O Movimento de Aníbal. Preve-se para as próximas horas a aceitação de vários outros movimentos: "O Movimento da ZON", "O Movimento do MEO" e "O Movimento do Meu Pipi", entre outros.

Afinal, PPC não está só a fazer cortes, nem apenas a enfiar os amigos todos em Conselhos de empresas minúsculas e desinteressantes. Está também a planear receber alguns portugueses com movimento e conta no Facebook. PPC terá informado Cavaco que não devia participar, uma vez que podem falar nas audiências de quinta-feira, ainda por cima em Belém onde os pastéis chegam ainda quentinhos. Contudo, a presença célere d' O Movimento de Aníbal faz temer mais uma rasteira de Cavaco Silva ao pobre Pedro.

Sem comentários: