18/01/12

esquerdas.


A propósito deste post: Não, obrigado, não quero recibo, Filipe Moura publica este outro post: O "Cinco Dias" já tem o seu Soares dos Santos.
Vale a pena ler ambos. Ajuda a compreender que, hoje em dia, a reivindicação de se "ser de esquerda" pode ser um embuste. Como escreve Filipe Moura: «Depois de ter exportado um dos seus fundadores para o gabinete de Miguel Relvas, o Cinco Dias tem agora alguém que comunga as ideias sobre fiscalidade da direita mais liberal.»
É, também, isto a nossa crise: o oportunismo e a demagogia tomaram conta também de franjas largas da auto-reivindicada esquerda. A solução não é dizer que já não há diferença entre esquerda e direita, porque isso não é verdade e é uma fuga aos verdadeiros debates (o que fazer de novo, em circunstâncias novas, para preservar valores antigos que permanecem válidos). A solução é não passarmos carta de alforria a grupos, blogues e excitações - só porque berram muito, radicalizam muito, estrebucham muito.

Sem comentários: