20/01/12

Cavaco II, o mendigo.


Cavaco diz que as reformas dele não chegarão para pagar despesas
.

Vale a pena citar longamente o Público:
No turbilhão de perguntas que os jornalistas lhe colocaram, a que criou maior embaraço a Cavaco foi a que teve a ver com o facto de o chefe de Estado receber subsídio de férias e de Natal, como reformado do Banco de Portugal. O Presidente da República olhou o jornalista durante alguns instantes e depois de fazer uma prolongada pausa disse: “Vou responder”.
E respondeu, afirmando que os 1300 euros que vai receber por mês da Caixa Geral de Aposentações, para onde descontou durante quase 40 anos, e do fundo de pensões do Banco de Portugal para onde descontou durante quase 30 anos, “quase de certeza que não vão dar “ – sublinhou – para pagar “as minhas despesas.”
“Neste momento já sei quanto é que irei receber da Caixa Geral de Aposentações, descontei quase 40 anos uma parte do meu salários para a CGA como professor universitário e também descontei durante alguns anos como investigador da Fundação Calouste Gulbenkian e devo receber 1300 por mês, não sei se ouviu bem 1300 euros por mês”, disse Cavaco, olhando o jornalista. “Tudo somado o que irei receber do fundo de pensões do Banco de Portugal e da Caixa Geral de Aposentações quase de certeza que não dá para pagar as minhas despesas”, afirmou.

Das duas, uma. Ou Aníbal Cavaco Silva tem um qualquer problema de saúde que o incapacita para exercer o cargo de PR - e, nesse caso, não o critico, deixo-lhe a minha solidariedade e peço-lhe que renuncie e vá tratar-se. E desejo-lhe pronta e total recuperação. Ou Cavaco é um político que, consciente do que está a dizer, e de quando o está a dizer, manifesta um total desconhecimento, incompreensão e insensibilidade face ao que se passa no país e com a maioria dos cidadãos. Nesse caso, merece que se organize um buzinão nacional que mostre ao PR que o país não suporta o seu umbigo, não atura que ele se queixe publicamente de uma situação pessoal que é infinitamente melhor do que a de muitos dos seus concidadãos. É que não se suporta um PR que fala pela sua vidinha pessoal, quando se candidatou e foi eleito para pensar no país e não nas suas contas. A pornografia já chegou longe demais.

2 comentários:

mdsol disse...

Não se aguenta...

Sofia Loureiro dos Santos disse...

De acordo, Porfírio. É pornográfico.