07/10/11

miguel de vasconcelos aterra na portela.



Bruxelas terá uma ‘task force’ em permanência, em Portugal, para agilizar a aplicação dos fundos estruturais nas reformas da ‘troika’.

Já não somos capazes de nos governar? Nem mesmo de aplicar as decisões? O que vêm fazer para Lisboa em permanência os funcionários da troika? Escrever os despachos, contar as moedas, despachar os polícias para conter as manifestações, ir ao INE buscar as estatísticas (ou ir ao INE levar as estatísticas), sentar o rabinho em cima de AJJ para ele não estrebuchar, cobrar as portagens, fazer as contas?

Quem pediu ao doce Barroso esta prenda? Ou foi o próprio que ofereceu? A oposição passa a ser feita directamente junto da troika? É a troika que passa a ir aos debate quinzenais debater com o Professor Louçã?

Até agora, uma das grandes diferenças entre a Grécia e Portugal é que a Grécia não era capaz de aplicar as suas políticas com a sua própria Administração, pelo que tinha bombeiros da troika a labutar em vez dos seus dirigentes. Portugal passou a estar na mesma situação.

Miguel de Vasconcelos saiu pela janela para entrar pela Portela passados estes séculos todos.

E não me digam que tanto faz, que é só simbólico. Os humanos são uma espécie simbólica: por aí vivemos, por aí morremos.

Que tralha.

1 comentário:

Anónimo disse...

Parece que foi o próprio governo (PPC)a pedir. acabei de ler num blog.lena