20/10/11

continuar a interpretar Cavaco.


Aos que ficaram muito chocados com o meu exercício de interpretação da mais recente aparente-rasteira de Cavaco ao governo, digo mais: ainda cá tenho mais intepretações-menos-que-lineares. Aqui vai mais uma.
Cavaco deu ao governo a oportunidade de lançar uma grande operação de negociação do orçamento de 2012 com a oposição. Passos dirá: se o PR tem dúvidas, vamos à procura de alternativas. Isso entala o PS, obrigando-o a apresentar propostas que dêem o mesmo resultado com menos sangue, propostas que, uma vez expostas, passarão a ser o alvo das críticas no lugar das propostas do governo. Assim como o grão-vizir que queria ser califa no lugar do califa, conhecem? Se o PS apresentar alguma alternativa de jeito, o Gaspar terá de engolir e o pragmático PPC mostrará que ainda manda alguma coisa. Caso contrário, a orelha murcha do PS valerá mais que uma orelha cortada numa tourada.
(Senhor PM, se o ofende esta ideia de que quereria realmente negociar alguma coisa, peço-lhe respeitosamente desculpa.)

Sem comentários: