31/08/11

a césar o que é de césar.


A partir da peça de Shakespeare, Joseph L. Mankiewicz realizou (1953) o filme "Júlio César". Há uma cena extraordinária nesse filme, que devia ser estudada por quantos se interessam pelo papel da retórica em política. Depois do assassinato de César, Brutus discursa ao povo de Roma a explicar os motivos desse acto, apresentando-o como uma necessidade política para bem da cidade. Marco António, amigo de Júlio César, é depois autorizado a falar, com a condição de não aproveitar a oportunidade para virar o povo contra a nova situação. Marco António faz então o discurso que é objecto do fragmento do filme que aqui deixamos. Marlon Brando, ainda jovem, faz aqui um papelão. É uma cena que merece a nossa reflexão - para não sermos tão cordeirinhos, se possível.

(Este texto era para comentar uma notícia recente da governação de Portugal. Olhando um pouco mais, achei que este texto serviria para comentar dezenas de notícias recentes da governação de Portugal. Assim sendo, deixo ao leitor a escolha do link que melhor que calhe para ser comentado por esta posta.)





Sem comentários: