01/07/11

Strauss-Kahn Case Seen as in Jeopardy


Segundo o The New York Times de hoje, Strauss-Kahn Case Seen as in Jeopardy:
The sexual assault case against Dominique Strauss-Kahn is on the verge of collapse as investigators have uncovered major holes in the credibility of the housekeeper who charged that he attacked her in his Manhattan hotel suite in May, according to two well-placed law enforcement officials.(...)
Since her initial allegation on May 14, the accuser has repeatedly lied, one of the law enforcement officials said. Senior prosecutors met with lawyers for Mr. Strauss-Kahn on Thursday and provided details about their findings, and the parties are discussing whether to dismiss the felony charges. (...)
The investigators also learned that she was paying hundreds of dollars every month in phone charges to five companies. The woman had insisted she had only one phone and said she knew nothing about the deposits except that they were made by a man she described as her fiancé and his friends. (...)
Mr. Strauss-Kahn was such a pariah in the initial days after the arrest that neighbors of an Upper East Side apartment building objected when he and his wife tried to rent a unit there. He eventually rented a three-story town house on Franklin Street in TriBeCa.
Dá que pensar. Ou não?

2 comentários:

MFerrer disse...

O ataque ao Euro e à UE pode ter passado também por esta armadilha, E a pressa que a direita, e também muitas virgens da esquerda tiveram, em o julgar na praça pública sempre me fez uma certa impressão...que aliás escrevi e assumi!
E se o homem for ilibado?

Porfirio Silva disse...

Espero que o homem seja ilibado.
Mas, não sendo eu uma das virgens da esquerda, também me fez impressão que se partisse do princípio de que "ele não". O homem, isso parece certo, é um predador. Vai uma grande distância entre isso e ser um violador, mas há demasiados testemunhos de que ele não é propriamente homem de pedir antes de meter o bolo na boca. E não podemos tratar como um valor menor o direito das mulheres a não serem pasto para apetites.
Agora, é certo que as grandes golpadas assentam sempre na exploração dos nossos melhores instintos de virtude.
E também é certo que, logo no início do processo, se disse que a linha da defesa seria descredibilizar a queixosa.
Estes filmes não são a preto e branco. E parece-me errado tentar deslindar os mistérios deste tipo com raciocínios do tipo "os de esquerda são puros e os outros uns safados".