13/07/11

socialistas (again)


Um comentário interessante ao debate de ontem entre Seguro e Assis, assinado por Filipe Henriques, no blogue Real República.
Um excerto:
«Por fim a única discussão onde realmente existiu alguma diferença entre os candidatos: as primárias.(...)
Chegou a levantar-se a questão de “como se sabe quem é simpatizante?” ou “pode um militante do PSD ir votar nas primárias do PS?”. Sobre isso gostaria de apontar para os estatutos do Partido Socialista onde, no capítulo 2, encontramos o artigo 7º (que define a inscrição e registo no partido dos simpatizantes) e os artigos 13º, 14º e 15º (que indicam os direitos e deveres dos simpatizantes).
A existência de primárias não é nada novo, e também não é nada circunscrito aos Estados Unidos. O exemplo que gostava de aprofundar aqui é o de Espanha. Tal como defende Assis, no PSOE e no PSC podem votar nas primárias tanto os simpatizantes como os militantes, e nas recentes eleições municipais e autonómicas existiram duas grandes primárias: Madrid (região) e Barcelona.
No caso de Madrid a participação dos militantes e simpatizantes ultrapassou os 81% (o PSOE estava na oposição), e em Barcelona ficou-se pelos 34% (o PSC estava no governo, sendo que nos militantes a participação ultrapassou os 60%).
Em ambos os casos as sondagens mostraramm uma recuperação dos candidatos Tomaz Gómez e Jordi Hereu, devido à mobilização do eleitorado socialista provocada pelas primárias.
Conclusão: as primárias não matam o debate (pelo contrário), e mobilizam os eleitores rumo às eleições.»
Seria interessante, para o debate, que se evitassem as tentativas de tratar o adversário como "inimigo dos militantes".

Sem comentários: