01/06/11

quando o verdadeiro Passos Coelho ainda existia


Passos Coelho, e alguns dos seus companheiros, estão em pleno tempo de disfarce. Hoje não defendem nada do que já defenderam. Escondem-se atrás de palavras obscuras. Quando Passos Coelho, num discurso de ontem ou anteontem, dizia que os médicos, enfermeiros, técnicos de diagnóstico - "eles", na expressão de Passos - é que, organizando-se, iriam salvar o Serviço Nacional de Saúde, estava apenas a mostrar gato escondido com o rabo de fora. "Eles", organizando-se, é que vão salvar o SNS?! Claro, "eles" - não o Estado - é que vão tratar do assunto; "organizando-se", quer dizer, criando alternativas fora do SNS. Tudo embrulhado, a ver se ninguém entende muito bem o que ele diz, no meio do barulho da luzes - mas Passos Coelho vai deixando cair o seu real programa. Embora, com sumo descaramento, vá dizendo que isso é que é o "Estado social".
Tudo se percebe olhando para o que ele dizia quando não estava em campanha eleitoral: «Ferreira Leite e Passos Coelho querem fim do SNS gratuito para todos». Tudo no jornal oficial do militante nº 1 do PSD.

Sem comentários: