18/05/11

a palhaçada não é a arma do povo


A noção do que uma campanha eleitoral deve representar em termos de dignidade e responsabilidade cidadã está manifestamente em crise. Vieram dos políticos os primeiros maus exemplos: desde que a demagogia se tornou banal e o insulto, a coberto da política, o pão nosso de cada dia. Talvez a coberto disso veio a ideia de que, em nome do "humor" político, se podem atacar as acções de campanha eleitoral com impunidade. Primeiro foi a "esquerda", com os "homens da luta" a boicotarem a campanha de partidos que não lhes caíam no goto, como se tivesse piada e fosse normal. Agora é a "direita" a usar os mesmos expedientes, com a mesma pretensão ao "humor" e à impunidade.
Estão à espera que venham bandos nazis atacar as acções de campanha eleitoral, também a coberto do "humor político", para se aperceberam da irresponsabilidade destas acções?

1 comentário:

Jaime Santos disse...

Uns rapazes monarquicos e ultramontanos que sao contra o Portugal do Respeitinho... Algo nao bate certo... Ja agora, nao havera por ai uns Cavaleiros Jedi que se encarreguem de ir chatear a campanha do PSD? Pensando bem, isso tambem nao teria piada nenhuma...