09/04/11

cinema, espelho da nossa infantilização colectiva




2 comentários:

coraçãodemaçã disse...

Porfírio, há 8 anos atrás escrevi um pequeno trabalho em que me refria a nós como um povo infantilizado. Mantenho-a e reforço-a, hoje.
A autocomplacência é, quanto a mim, um dos nossos maiores defeitos. O pior, é que tratamos os nossos futuros adultos com condescendência. Permitimos-lhes tudo, damos-lhes o máximo em troca do mínimo, porque são pequeninos. Coitadinhos deles...
Bah!
Dri
Vê-se o resultado.

mouse disse...

Excelente título. Esta conversa faz-me sentir vergonha, sentimento que paira na minha alma nos últimos dias... vergonha. O esquema dos diversos agentes de financiamento do cinema comercial é muito bom e aquela destes filmes não passarem de Badajoz enquanto o Manuel de Oliveira e o Pedro Costa são mundialmente reconhecidos também é certeira. Já a questão da narrativa é tão escorregadia que enfim...