12/04/11

ainda bem que não foi telefonema; estar ao telefone quatro horas teria causado um enorme buraco no défice


João Galamba anda a ouvir Passos Coelho. O que dá nisto:
A principal novidade da entrevista de Passos Coelho à TVI foi a de este ter admitido que mentiu quando disse que o PSD tinha sido informado do conteúdo do PEC por telefone. Afinal, contrariamente a muito do que foi sendo dito durante o último mês e que justificou tantas criticas ao governo, houve um telefonema, é certo, mas este foi para marcar uma reunião em S. Bento entre Passos Coelho e Sócrates, que, segundo Judite de Sousa, terá durado quatro horas, e teve como tema as linhas de orientação do PEC que o governo ia apresentar em no Conselho Europeu extraordinário de dia 11 de Maço. Perante isto, podemos fazer várias perguntas: por que razão Passos quis, deliberadamente, passar uma ideia errada sobre o comportamento do primeiro-ministro?; o que foi discutido e quanto tempo durou essa reunião?; qual a ligação entre a reunião, as declarações de Relvas e a comunicação de Passos, onde este disse que o PSD afinal não ia aprovar o PEC? por que razão o gabinete do primeiro ministro não revelou, há mais tempo, ter havido uma reunião? Enfim, podem fazer-se imensas perguntas (...).

Na íntegra: Não inscrição.

Acrescento: a mentira ilustrada pelos seus próprios autores. (Já agora, Miguel, seria bom não rejubilar com esta revelação. Umas das perguntas que o João Galamba faz, a propósito deste imbróglio, ainda vai dar pano para mangas. Voltarei a isto. Ou não...)

Sem comentários: