27/03/11

a tese do abalozinho (post dedicado a certa categoria de esquecidos)

A invocação política do exclusivo da verdade é a forma mais rastejante de mentira.
MFL – [...] E tanto é a partir da receita que agora estamos numa fase em que a receita, por motivos da crise económica, baixa naturalmente, as contas públicas estão pior do que quando o engenheiro Sócrates tomou conta do País. E, portanto, isso significa que, efectivamente, não estavam consolidadas. ‘Tavam com passos positivos, mas não estavam consolidadas, porque a consolidação significa alguma coisa que mesmo que venha um abalo de terra aquilo não se desmorona. Veio um abalozinho de terra e desmoronou-se. Portanto, não estava consolidada.
AL – Esta crise, no que diz respeito a Portugal, na sua opinião, não é um abalo de terra, é um abalozinho?…
MFL – Aaahhh… É um abalo de terra, mas é um abalozinho relativamente aquilo que poderia ter sido caso não estivessem as contas feitas… construídas doutra forma…

O que lemos acima é a transcrição de um excerto da entrevista de MFL à SIC (com Ana Lourenço), a 24 de Junho de 2009, a caminho das eleições legislativas. Isto não é novidade nenhuma. É só por causa de certas pessoas que se comportam como esquecidos profissionais. E por isso dizem que "os outros" mentem.


Sem comentários: