03/02/11

revoluções árabes

~bucz, Glosoli

Costuma dizer-se "depositar esperanças", não se costuma dizer "depositar medos". Não obstante... No caso das revoltas que grassam no Médio Oriente, acho que faz sentido dizer que elas prometem revoluções - e que nessas revoluções tanto depositamos esperanças como depositamos medos.
Não me parece particularmente instrutivo comparar outras revoluções com o que está em curso. Mesmo que alguns se encostem a tudo que prometa fazer esquecer como as suas revoluções deram para o torto. "Torto" é ditadura e pobreza. O exercício que me parece valer a pena é procurar bem onde há democracias em países de forte influência islâmica que conseguem resistir à pulsão totalitária do respectivo fundamentalismo.
Para não perdoarmos a irresponsável cumplicidade do "Ocidente" com as tiranias.
Para sabermos distinguir os diferentes estádios históricos por que passam diferentes religiões, em lugar de ensacarmos tudo junto.
Para não nos inebriarmos demasiado com o perigo.

Sem comentários: