05/01/11

eleições

Rosie Hardy, He took me to places I'd never seen

A campanha eleitoral não pode esquecer o caso BPN, na medida em que ele espelha (no mínimo) a hipocrisia política e pessoal de um dos principais candidatos (e do actual PR).
Não obstante, seria muito necessário que as candidaturas colocassem temas mais promissores no debate. Política, propriamente. O que fazer a seguir, na tempestade em que estamos.
É que, caso contrário, arriscamo-nos a descer todos ao nível do alvo das nossas críticas. E o povo, mal por mal, pode acabar por preferir o mal que já conhece ao mal que ainda não experimentou.

1 comentário:

Francisco disse...

Parece-me que é necessário dizer aos portugueses que eles podem escolher. Podem escolher que Portugal pretendem. Que Portugal pretendem no fim das eleições: um Portugal que encolhe os ombros perante os casos associados ao Cavaco ou um Portugal que não tolera a convivência com a corrupção e com a manipulação das funções de estado para proteger e promover correlegionários políticos. Se esse enquadramento estiver na cabeça das pessoas na hora de votar..