19/10/10

os sacanas fartam-se de fazer publicidade

DN

A demagogia (dizer completas mentiras compostas apenas de verdades-verdadinhas, com intenção e alvo) é muita por estes dias, denunciando pretensos despesismos de vária ordem. Faz isso um grupo de gente que, tendo por profissão escrever ou falar nos órgãos de comunicação social, não tem tempo para estudar os assuntos sérios e, tendo de sobreviver, produz qualquer "peça" que esteja à mão. No género "chutar com o pé que estava mais à mão". A alegação de que (espante-se!) organismos do Estado ou das redondezas fazem publicidade - é uma das flores do ramalhete. A sugestão é simples: "aquela malta" gasta dinheiro a rodos a fazer propaganda. E que tal pensar um bocadinho mais?
Uma boa maneira é ler Luís Paixão Martins no Lugares Comuns:
Suponhamos, como exemplo, que no próximo ano temos o obrigatório Recenseamento da População - o habitual Census que se realiza em cada 10 anos. Não será a Publicidade um instrumento necessário para informar os cidadãos acerca do mesmo e dos seus procedimentos?
Suponhamos, como exemplo, que o Estado fecha um hospital e quer informar os cidadãos que devem optar por outro. Não será a Publicidade um instrumento necessário para informar os cidadãos?
A Publicidade e outras disciplinas da Comunicação são essenciais na Sociedade. Sem elas viveríamos num Caos. É a Comunicação que "organiza" a Sociedade.
Está na íntegra aqui.
Estas coisas são simples: há quem pense que um País em dificuldades deve parar. Talvez para eles parecerem em movimento.

Sem comentários: