10/10/10

ainda a liberdade de expressão no PS


A dar uma volta pelos jornais em linha constato que, nas eleições para as mais importantes estruturas intermédias do Partido Socialista, as "distritais", houve "surpresas", que resultaram de disputas (mais do que uma candidatura para a mesma distrital), tendo sido "renovadas" sete federações, em alguns carros correspondendo a mudanças de "sensibilidade". Tenho visto, nos últimos tempos, na blogosfera e nas chamadas redes sociais, muitos militantes do PS a discutir as suas preferências na praça pública. Algumas das eleições foram decididas por uma unha negra, não com maiorias tipo Coreia do Norte.
Nada disto é extraordinário, tudo isto é normal. Tudo isto acontece também em outros partidos portugueses - mas não em todos! Mesmo assim, há comentadores que dizem que há falta de liberdade de expressão no Partido Socialista. Pode haver, até pode: se houver quem se cale para melhor gerir a sua carreira. Mas disso não sei nada. E quem se cala pela carreira não me merece nenhuma simpatia - embora, pelos vistos, sejam esses quem merece a simpatia dos que andam muito preocupados com a liberdade de expressão no PS (por vezes os mesmos que, ao mesmo tempo, não vêem nenhuma problema de liberdade de expressão, digamos, no PCP).

7 comentários:

Eduardo Miguel Pereira disse...

Afinal no que é que ficamos ?
Se se calam, não lhe merecem a simpatia, se falam, são Filósofos Tunhas, que lhe tiram a paciência !
Dei por mim a pensar que sentimentos lhe despertará uma personagem que é candidato a Presidente da Républica, que não se cala contra o próprio partido, mas que ao mesmo tempo também não se afasta das mordomias que o mesmo partido lhe proporciona ?

Talvez lhe tire a paciência, e não nutra por ele grande simpatia, não ?

Porfirio Silva disse...

Vejo que lhe custa muito a compreender os partidos onde o estilo não é o das "directrizes emanadas superiormente" (para usar a sua expressão noutro comentário a outro post). Deve ser por isso que não vê a evidência de que há liberdade de expressão no PS.

Eduardo Miguel Pereira disse...

"Olhe que não Sr. Dr., olhe que não".
Peço-lhe que concretize com nomes, as ditas liberdades de expressão tão evidentes do PS, responde deturpando o que escrevi, ou seja, não respondendo.
Indago-o no sentido de saber que sentimentos lhe causam a postura de Manuel Alegre, tendo em conta a contradição em que você próprio caíu, e responde pondo em causa a minha capacidade de entendimento, ou seja, não respondendo.
O seu último comentário, já o levou a tecer considerações pessoais, colocando em causa a minha capacidade de entendimento.
Veja lá não se perca, olhe que o ataque pessoal é, aquando da troca de argumentação, a demonstração cabal de que se lhe esgotaram os argumentos.
Escreveu, muito, e bem, em todas as respostas, mas tudo espremido, não me disse nada, nem a mim, nem a eventuais "testemunhas", e isso meu caro, é de facto dialética, e da boa, algo que sempre fez escola e parte do código genético daqueles que trabalham ali pelo Largo do Rato.

Porfirio Silva disse...

Eduardo, eu não trabalho no Largo do Rato, nem nunca trabalhei. Esse tipo de "argumento" mostra o nível para onde quer levar a conversa. Se acha que já demonstrou o seu ponto, pode repousar sobre esses louros de glória e deixar que sejam os eventuais leitores a tirar as respectivas conclusões.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Tanto o Porfírio, quanto aqueles que por ventura leiam o que escrevi, têm de facto a possibilidade de verificar que, em momento algum, eu afirmei que o Porfírio trabalhava no Largo do Rato, e nem isso era relevante para a nossa troca de argumentos.
Vestiu a pele porque quis, eu não lha impus.
Afirmar que pretendo baixar o nível, baseado nessa falácia é, tal como já fez no comentário anterior, não conseguir argumentar, pretendendo sim, denegrir a imagem de quem consigo está disposto a debater uma questão.
Não faça desta troca de comentários uma questão pessoal, porque jamais poderia ser, dado que nem nos conhecemos.
Eu gosto muito de discutir com quem discorda dos meus pontos de vista, e por isso a minha paixão pela blogoesfera é grande. Se fosse para só vir aqui ler e receber respostas que fossem de encontro aos meus pontos de vista, há muito que já tinha fechado o meu blogue e teria deixado de comentar nos blogues dos outros.
E no seu caso em concreto, o que me levou a segui-lo e a lê-lo, foi precisamente verificar que, numa boa parte das questões que aqui aborda, nomeadamente nas de caracter político, temos posições opostas, e como verifiquei que o Porfírio escreve superiormente e que é, pelo menos depreendo que seja pelo que escreve e como escreve, uma pessoa interessante, culta e informada, decidi aqui vir expor-lhe os meus argumentos e o meu ponto de vista.
E assim espero que possa continuar, porque é da troca de ideias contraditórias que resulta o aprofundar do conhecimento.
Jamais eu pretenderia baixar o nível, Porfírio, jamais !
Quando quiser, se quiser, passe pelo meu Blogue e "desanque-me" lá à vontade, que eu terei muito gosto em contrapor, certo que também o Porfírio não quererá baixar nível algum.

Ruaz disse...

Que seca!Iisto termina com jogos florais entre o Porfírio e o Eduardo quando o que nós queremos é sangue. Intelectualmente falando claro.

Anónimo disse...

Com Manuel Alegre, por exemplo, o PS levou a liberdade de expressão extremamente longe. Para muitos observadores, até longe demais.