05/10/10

100 anos depois, 100 anos antes


Na medida em que as comemorações tendem a ser momentos de exaltação, tendem a ser também fotografias a preto e branco. Também assim tem sido nestas comemorações dos 100 anos da República em Portugal. Claro que há sempre uns escribas de serviço que vão abaixo de qualquer decência na tentativa de se pendurarem em conversa "histórica" apenas para darem milho aos seus ódios de capoeira. Felizmente há quem procure, de qualquer dos lados das múltiplas barricadas, contribuir para equilibrar a visão das coisas, mesmo sem deixar de defender a sua dama: República contribuiu para o desenvolvimento da Igreja, diz bispo do Porto. O que mais falta, ainda, cem anos depois, é um método aceite para tratarmos das nossas dificuldades colectivas sem traulitada. Mas hoje não é dia de perder a esperança.

Sem comentários: