11/06/10

o relato


Relatório PT/TVI: Primeiro-ministro mentiu ao Parlamento. (Público)

Ilustração recortada de Le Capitaine Écarlate (de Guibert & David B.)

O deputado João Semedo já sabia, antes de começarem os trabalhos da Comissão, o que se iria concluir. Em traços grossos, claro: a Comissão de Inquérito era só para apurar os detalhes. O deputado João Semedo não tem noção nenhuma da diferença entre um papel institucional e uma pessoa privada: Sócrates ter ouvido uns zunzuns ou o governo estar informado em boa e devida forma, para Semedo não tem diferença nenhuma. Confere com o respeito que estes "revolucionários" têm das instituições e revela, realmente, a noção que têm da vida privada numa democracia. O deputado João Semedo argumenta, para "provar" qualquer coisa contra Sócrates, com notícias que na altura já tinham sido publicadas nos jornais: para isso, não era preciso andar meses numa comissão de inquérito. O deputado João Semedo insinua qualquer coisa sobre a suposta fonte da suposta informação privada que Sócrates teria: pagam a relatores parlamentares para fazer insinuações?
(Comentário escrito após a leitura apenas da notícia do Público. As 250 páginas do relatório ficam para depois.)

Sem comentários: